O número de judeus no mundo ainda é menor do que antes do Holocausto – relatório do Escritório Central de Estatísticas de Israel. – WZO

O número de judeus no mundo ainda é menor do que antes do Holocausto – relatório do Escritório Central de Estatísticas de Israel.

Na véspera do Dia da Memória das Vítimas do Holocausto, o Bureau Central de Estatísticas de Israel apresentou dados atualizados sobre a população judaica tanto em Israel quanto no mundo. Hoje, existem 15,7 milhões de judeus no mundo, dos quais 7,1 milhões, ou cerca de 45%, vivem em Israel.

Arthimedes / depositphotos.com

Para comparação: em 1939, imediatamente antes do início da Segunda Guerra Mundial, havia 16,6 milhões de judeus no mundo, com apenas 449 mil (3%) deles vivendo no território do então Mandato Britânico da Palestina, território do moderno Israel. Em 1948, quando o Estado de Israel foi declarado, restavam 11,5 milhões de judeus no mundo, dos quais 650 mil (6%) já habitavam Israel.

A distribuição das maiores comunidades judaicas por país é a seguinte:

  • Israel: 7,1 milhões (45%)
  • EUA: 6,3 milhões (40%)
  • França: 440 mil (3%)
  • Canadá: 398 mil (2,5%)
  • Reino Unido: 312 mil (2%)
  • Argentina: 171 mil (1,8%)
  • Rússia: 132 mil (1,1%)
  • Alemanha: 125 mil (0,8%)
  • Austrália: 117 mil (0,7%)

Entre os residentes de Israel, há 133 mil sobreviventes do Holocausto. Desses, 43% nasceram entre 1939 e 1945 e agora têm entre 78 e 84 anos. Cerca de um terço dos sobreviventes tem entre 85 e 89 anos, e 20% têm mais de 90 anos.

6 Mai 2024
1 min read
345
Notícias

Ler mais

Ação Contra o Antissemitismo em Estádio de Futebol

Ação Contra o Antissemitismo em Estádio de Futebol

Na terça feira 30 de janeiro no estádio do time Corinthians durante a final do campeonato de futebol entre os times São Paulo e Corinthians, a comunidade judaica realizou uma ação em combate ao antissemitismo.
Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto

Todo ano, no dia 27 de janeiro, é observado o Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto.
O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, não viu violência sexualizada nas ações do HAMAS.

O Secretário-Geral da ONU, António Guterres, não viu violência sexualizada nas ações do HAMAS.

Mais uma confirmação da posição anti-Israel da Organização das Nações Unidas.